Estilo da Semana: Vienna Lager

3 Julho, 2017

Esta semana apresentamos a Vienna Lager (BJCP 2015 – 7A), uma lager âmbar de teor alcoólico moderado, com sabor a malte suave e amargor moderado mas, ainda assim, com um final relativamente seco. O sabor a malte é limpo, rico a pão e por vezes tostado, com uma impressão elegante derivada do processo e da qualidade dos maltes base e não dos maltes de especialidade e adjuntos.

História

Desenvolvida em 1841 por Anton Dreher em Viena, tornou-se popular na segunda metade dos anos 1800s. Hoje quase extinta na sua área de origem, o estilo continua popular no México para onde foi levada por Santiago Graf e outros emigrantes cervejeiros Austríacos, no final dos anos 1800s. É cada vez mais difícil encontrar exemplos autênticos (com excepção, talvez, na indústria da cerveja artesanal) uma vez que os bons exemplos tornaram-se mais doces e usam mais adjuntos.

Aroma

A malte, moderadamente intenso, com aromas tostados e ricos a malte. Carácter limpo de lager. Aroma a lúpulo co notas florais ou especiarias pode ser baixo a nenhum. É inapropriado um aroma significativo a caramelo ou torrado.

Aparência

Cor âmbar avermelhado claro a cobre. Claridade brilhante. Espuma abundante, de cor branco-sujo, e persistente.

Sabor

Uma complexidade de malte suave e elegante é o sua cartão de visita, com amargor do lúpulo suficientemente firme para providenciar um final equilibrado. O sabor a malte tende para um carácter rico e tostado, sem sabores significativos a caramelo ou torrado. Final mediamente seco e assertivo, com presença no após-prova de malte rico e amargor de lúpulo. Sabor floral ou a especiarias do lúpulo pode ser baixo a nenhum. Perfil de fermentação limpo de lager.

Palato

Corpo médio-baixo a médio, com um cremosidade delicada. Carbonatação moderada. Suave.

Comentários

Uma cerveja diária de teor alcoólico standard e não uma cerveja fabricada para festivais. As versões americanas podem ser um pouco mais fortes, mais secas e mais amargas, enquanto que as versões europeias tendem a ser mais doces. Muitas lagers mexicanas âmbar e escuras eram mais autênticas mas, infelizmente, são agora International Lagers Ambar/Escuras mais doces e mais carregadas em adjuntos. Lamentavelmente, muitos exemplos modernos usam mais adjuntos os quais reduzem a rica complexidade do malte, característica dos melhores exemplos deste estilo. Este estilo encontra-se a ser vigiado para entrar para a categoria de cervejas Históricas em futuras linhas orientadoras do BJCP.

Ingredientes Característicos

O perfil complexo a malte, rico em compostos de Maillard e ligeiramente tostado é providenciado pelo malte Vienna. Tal como com as Marzens, somente o malte da mais elevada qualidade deve ser utilizado, a par de lúpulo continental (preferencialmente Saaz ou Styrian). Podem ser usados maltes caramel e/ou maltes mais escuros para adicionar cor e doçura, mas os maltes caramel não devem adicionar aroma e sabor significativo; e os maltes escurões não devem providenciar nenhum carácter torrado.

Comparação de Estilos

Carácter a malte mais leve, ligeiramente menos corpo e ligeiramente mais amarga no equilíbrio do que uma Märzen, contudo com muitos dos mesmos sabores derivados do malte. O carácter a malte é similar a uma Märzen, mas menos intenso e mais equilibrado. Com menos álcool do que uma Märzen ou Festbier. Menos rico, menos maltada e com menos ênfase no lúpulo quando comparada com uma Czech Amber Lager.

Alguns Exemplos Comerciais

Cuauhtémoc Noche Buena, Chuckanut Vienna Lager, Devils Backbone Vienna Lager, Figueroa Mountain Danish-style Red Lager, Heavy Seas Cutlass Amber Lager, Schell’s Firebrick.



Ao usar o nosso website, concorda com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies deste website estão definidas para permitir "cookies", de forma a providenciar a melhor experiência de navegação. Se continua a utilizar este website sem mudar as suas configurações de "cookies", ou carregar no botão "Aceitar" abaixo, você concorda com o uso de "cookies".

Close