Estilo da Semana: Witbier

30 Abril, 2017

Com a continuação da Primavera (mais ou menos), esta semana vamos falar da Witbier (BJCP 2015 – 24A). Uma cerveja ale à base de trigo, refrescante, elegante e saborosa.

História

Um estilo Belga com 400 anos de idade que morreu por volta de 1950. Foi mais tarde recuperada por Pierre Celis na cervejeira Hoegaarden. Desde então tem crescido em popularidade, tanto por cervejeiros artesanais modernos bem como produtores em massa, que a vêm como uma cerveja sazonal algo frutada.

Aroma

Doçura moderada do malte (muitas das vezes com notas ligeiras a mel e/ou baunilha) com aromas ligeiros do trigo a cereal e especiarias, muitas das vezes com ligeira presença tartárica. Perfuma moderado a coentros, muitas vezes com uma nota complexa de fundo herbácea, a especiarias ou apimentada. Nota frutada moderada a casca de laranja/citrinos. Uma nota baixa a lupulo com presença a especiarias/herbáceo é opcional, mas não se deve sobrepor às outras caracteristicas. Aromas a semelhantes a vegetal, aipo ou presunto são inapropriados. As especiarias devem-se  enquadrar bem com os aromas adocicados, frutados e florais e não devem ser demasiadamente fortes.

Aparência

Cor palha muito pálida a ouro muito claro. A cerveja é muito turva devido ao amido e/ou levedura, o que lhe confere uma aparência leitosa com tons amarelados esbranquiçados. Espuma cremosa e densa, tipo mousse, de cor branca e com retenção que deve ser bastante boa.

Sabor

Agradável a cereal adocicado (muitas das vezes com um carácter a mel e/ou baunilha), e notas frutadas a casca de laranja/citrinos. Assertivamente refrescante, com um final seco e muitas vezes tartárico. Pode ter um sabor reduzido a pão de trigo. Opcionalmente, pode ter uma acidez láctica/tartárica muito leve. São comuns sabores a ervas/especiarias que podem incluir coentros ou outras especiarias, contudo devem ser subtis e equilibrados e não se sobrepor. Pode estar presente uma nota a lúpulo baixa a inexistente, de carácter a especiarias/terroso e, se perceptível, nunca se intromete com as outras especiarias. O amargor do lúpulo é baixo a médio-baixo, não interferindo com os sabores refrescantes a fruta e especiarias, nem persiste até ao final. Amargor derivado de casca de laranja não deve estar presente. Sabores a vegetal, tipo aipo, tipo presunto ou sabão são inapropriados.

Palato

Corpo médio-leve a médio, muitas das vezes possuindo uma suavidade e ligeira cremosidade de trigo não maltado e a aveia ocasional. Apesar do corpo e cremosidade, termina seca e muitas vezes um pouco tartárica. Carácter efervescente de carbonatação elevada. Refrescante da carbonatação, ligeira acidez e ausência de amargor no final da prova. Sem adstringência ou “aspereza” de casca de laranja. Não deve ser muito seca ou de corpo muito leve, nem deve ser encorpada e pesada.

Comentários

A presença, carácter e grau de especiarias e amargor láctico varia. Cervejas com muita presença de especiarias e/ou ácidas não são bons exemplos do estilo. Coentros de certas origens podem dar um carácter inapropriado a presento ou aipo. A cerveja tem tendência a ser frágil e não envelhece bem, pelo que são desejáveis exemplos devidamente manuseados, jovens e frescos. A maioria dos exemplos parecem andar por volta dos 5% de álcool por volume.

Ingredientes Característicos

Cerca de 50% de trigo não maltado e 50% de malte pálido de cevada (normalmente malte Pils), constituem a carga de cereal. Algumas versões podem usar até 5 – 10% de aveia não maltada. Aromas a especiarias acabadas de moer (coentros) e casca de Curaçao e, por vezes, casca de laranja adocicada complementam o aroma adocicado e são característicos. Podem ser usadas outras especiarias (por exemplo, camomila, cominhos, canela ou Sementes do Paraíso) para complexidade mas são muito menos proeminentes. É característico o uso de levedura ale propensa à produção de sabores ténues a especiarias. Em alguns casos é corrente a utilização de uma fermentação láctica muito limitada, ou mesmo a adição de ácido láctico.

Comparação de Estilos

Nível baixo de amargor, com equilíbrio semelhante a uma Weissbier, mas com carácter a especiarias e citrinos provenientes mais das adições do que da levedura.

Alguns Exemplos Comerciais

Allagash White, Blanche de Bruxelles, Celis White, Hoegaarden Wit, Ommegang Witte,
St. Bernardus Witbier, Wittekerke.



Ao usar o nosso website, concorda com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies deste website estão definidas para permitir "cookies", de forma a providenciar a melhor experiência de navegação. Se continua a utilizar este website sem mudar as suas configurações de "cookies", ou carregar no botão "Aceitar" abaixo, você concorda com o uso de "cookies".

Close