Estilo da Semana: American Barleywine

11 Fevereiro, 2017

 

Esta semana vamos abordar mais um estilo de cerveja forte e fazer a comparação com o da semana passada (English Barleywine). Trata-se da variante norte-americana American Barleywine (BJCP 2015 – 22C). É uma interpretação bem lupulada da mais rica e forte ale britânica. O carácter a lúpulo deve ser bem evidente em toda a prova, mas não necessita de ser desequilibrada. A quantidade de álcool e amargor do lúpulo geralmente combinam-se, dando lugar a um final muito longo.

História

Em regra, trata-se da Ale mais forte que é oferecido por uma cervejeira, muitas vezes associada com o Inverno ou à época festiva e, normalmente, datadas (vintage). Tal como muitos dos estilos Americanos de cerveja artesanal, derivou dos exemplos Ingleses mas utilizando ingredientes Americanos e apresentando um perfil a lúpulo mais proeminente. Uma das primeiras versões Americanas foi a Anchor Old Foghorn, elaborada pela primeira vez em 1975. A Sierra Nevada Bigfoot, elaborada em 1983, marcou a fasquia para o estilo marcado pelo lúpulo dos dias de hoje. Reza a história que quando a Sierra Nevada enviou a sua primeira amostra de Bigfoot para análise, o laboratório respondeu “a sua barleywine é muito amarga”, ao qual a Sierra Nevada agradeceu com um “muito obrigado!”.

Aroma

Carácter a lúpulo moderado a assertivo, demonstrando em regra, variedades cítricas, frutadas ou resinosas do Novo Mundo (embora outra variedades inglesas possam ser utilizadas, tais como floral, terroso ou apimentado; ou uma mistura das duas). Malte rico, com um carácter que pode ser doce, a caramelo, pão/broa, ou medianamente neutro. Aromas a ésteres frutados e álcool baixos a moderadamente-fortes. Contudo, a intensidade dos aromas normalmente esmorece com a idade. O lúpulo tende a ser quase igual ao malte no aroma, com o álcool e ésteres bem atrás.

Aparência

A cor pode variar de âmbar claro a acobreado médio; em casos raros pode ser tão escura como castanho claro. Muitas vezes com reflexos rubi. Espuma moderadamente-baixa a abundante, de cor branco-sujo a bronzeada; pode apresentar baixa retenção. Pode ser turva com turvação de frio a temperaturas mais baixas, mas normalmente limpa de boa a brilhante claridade, conforme aquece. A cor pode parecer que possui uma grande profundidade, como se vista através de uma lente de vidro de elevada graduação. O elevado teor alcoólico e viscosidade pode ser visível na formação de “pernas” quando a cerveja é agitada no copo.

Sabor

Forte e rico a malte, com sabor e amargor a lúpulo perceptível no equilíbrio. Palato adocicado de malte, de intensidade moderadamente-baixa a moderadamente-alta, embora o final possa ser algo doce a bem seco (dependendo da idade). O amargor de lúpulo pode variar de moderadamente forte a agressivo. Embora seja fortemente maltada, o equilíbrio deve parecer sempre amargo. Sabor a lúpulo moderado a elevado (qualquer variedade, mas tipicamente apresentando uma panóplia de características de lúpulo do Novo Mundo). Ésteres frutados baixos a moderados. Presença a álcool que se nota, mas bem integrada. Os sabores ficarão mais suaves e diminuirão ao longo do tempo, mas qualquer carácter oxidativo deve estar abafado (e normalmente ser disfarçado pelo carácter a lúpulo). Pode conter alguns sabores a malte tipo pão ou caramelo, mas estes não devem ser elevados; sabores a malte torrados ou queimados são inapropriados.

Palato

Encorpada e “mastigável”, com uma textura aveludada e deliciosa (embora o corpo possa declinar com longo envelhecimento em garrafa). Deve ser sentido um calor suave do álcool. Não deve apresentar uma consistência tipo xarope e mal atenuada. A carbonatação pode ser baixa a moderada, dependendo da idade e envelhecimento.

Comentários

Por vezes chamada de “Barley Wine” ou “ale ao estilo Barleywine” (este último devido a requisitos legais e não preferência da cervejeira).

Ingredientes Característicos

O malte pale bem modificado forma a espinha dorsal da carga de cereal. Podem ser usados alguns maltes de especialidade ou carácter. Maltes escuros devem ser usados com grande contenção, se de todo, uma vez que a cor provem de uma fervura longa. Lúpulos do Novo Mundo são os mais comuns, embora qualquer variedade possa ser usada em quantidade. Normalmente é usada uma estirpe de levedura ale Americana, atenuativa.

Comparação de Estilos

A versão Americana da Barleywine tende a possuir uma maior ênfase no amargor, sabor e aroma a lúpulo do que a English Barleywine, utilizando em regra variedades Americanas. Tipicamente mais clara do que as English Barleywines que são mais escuras (e sem os sabores a malte mais pronunciados), mas mais escuras do que as English Barleywines douradas. Difere de uma Double IPA na medida em que o lúpulo não é tão extremo, o malte é mais pronunciado e o corpo é mais forte e muitas vezes mais rico. Uma American Barleywine tipicamente tem mais doçura residual do que uma Double IPA, o que afecta o seu potencial geral de ser bebível (bebericar versus beber).

Alguns Exemplos Comerciais

Avery Hog Heaven Barleywine, Anchor Old Foghorn, Great Divide Old Ruffian, Rogue Old Crustacean, Sierra Nevada Bigfoot, Victory Old Horizontal



Ao usar o nosso website, concorda com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies deste website estão definidas para permitir "cookies", de forma a providenciar a melhor experiência de navegação. Se continua a utilizar este website sem mudar as suas configurações de "cookies", ou carregar no botão "Aceitar" abaixo, você concorda com o uso de "cookies".

Close