Visita ao Vadia Brewpub

31 Agosto, 2016

No inicio do mês de Agosto e a convite da cervejeira, visitamos o brewpub da Cerveja Vadia, localizado perto de Oliveira de Azeméis, na localidade de Vermoim. Fomos calorosamente recebidos pelo seu cervejeiro responsável e um dos fundadores, Nicolas Billard, ao qual se juntou a sua esposa Rosa Maria Billard, encarregue do departamento comercial.

20160801_150237

Foi então que se iniciou uma longa conversa cervejeira, abordando-se a história da marca e o seu percurso até ao presente. A produção teve inicio em 2007 para as festas de Sto. António, tendo sido por volta desta altura que surgiu a origem da marca “Vadia”. Como os dias de produção eram sempre longos, os fundadores chegavam sempre tarde aos encontros com os amigos, os quais afirmavam, na brincadeira, que eles andavam na “vadiagem” e daí o actual nome da marca “Vadia”.

O processo de licenciamento da cerveja “Vadia” foi um dos primeiros do país, tendo demorado cerca de três anos até estar concluído com 1 ano pelo meio de mera burocracia. Com todo este processo, afinação de produção, etc., a comercialização da cerveja “Vadia” iniciou-se em finais de 2012.

O seu cervejeiro, Nicolas, tirou um curso de cervejeiro nos anos 90 em França, tendo sempre o sonho de criar um brewpub ao estilo da cadeia “Les 3 Brasseurs“, nascida na década 80 do séc. XX em Lille, França. Esta marca alia uma microcervejeira a um restaurante, conjugando a cerveja artesanal de produção no local, com a restauração. Nicolas estagiou em Estrasburgo e na Baviera tendo vindo cumprir o seu serviço militar em Portugal, onde está até aos dias de hoje.

Em passeio pela Europa central, a equipa da Cerveja Vadia teve a oportunidade de provar as várias cervejas fabricadas no local onde são consumidas, possuidoras de grande frescura. Foi então que tentaram implementar o conceito de “cerveja fresca” em Portugal, enfrentando grandes dificuldades no armazenamento da cerveja por parte dos clientes. Facilmente se percebe que as décadas de domínio das lagers industriais criaram uma lacuna formativa sobre a cerveja artesanal, a qual possui requisitos de manuseamento muito mais rigorosos do que a primeira. Esta deficiência obrigou a marcar a recolher vários lotes, bem como a alterar o conceito da “cerveja fresca” e a optar pela pasteurização dos seus produtos engarrafados. Este processo garante a estabilidade bacteriológica do produto, aumentando a sua vida de prateleira e com mínimo impacto no sabor desde que correctamente aplicado. Neste contexto, a marca possui uma gama de cervejas com estilos base, tentado introduzir produtos diferenciados na sua oferta, como forma de cativar clientes.

Actualmente, a Cerveja Vadia mudou de instalações para o local actual onde finalmente conseguiram implementar o seu conceito de Brewpub. O espaço é amplo e agradável, com decoração cuidada, dotado de um bar e palco de espectáculos ao nível do rés-do-chão e de um espaço elevado mais reservado, que pode ser utilizado para eventos, tal como formações, etc.

bar

Ainda no rés-do-chão e ao lado do palco de espectáculos, localiza-se a área produtiva, totalmente visível da zona do público. O equipamento de fabrico é constituído por cuba de empastagem e cuba de filtragem em separado, permitindo a produção diária de 4000 litros. As cubas principais são complementadas por uma cuba de whirlpool. Todo este equipamento em aço inox foi desenvolvido pelos sócios e é de fabrico nacional, tendo sido construído numa empresa a poucos metros das actuais instalações.

equip

O enchimento de garrafas é efectuado por uma enchedora isobárica semi-automática com pré-evacuação de oxigénio, à qual se junta uma rotuladora automática. A pasteurização é efectuada actualmente através de banho de imersão. Como forma de aumentar a produtividade na secção de enchimento de garrafas, na altura da visita esperavam uma nova enchedora bem como um túnel de pasteurização, reduzindo o trabalho e tempo necessário na pasteurização por imersão.

Complementarmente ao espaço de fabrico, as instalações possuem um armazém, espaço de moagem de cereal com um moinho de pedra circular e um pequeno laboratório. A nível de recursos humanos e além do staff inicial, a marca dispõe ainda de técnicos versados em engenharia biológica e de biotecnologia, efectuando controlo de viabilidade de leveduras com propagação, bem como estudos e controlo microbiológico.

Tivemos ainda a oportunidade de degustar a gama da Cerveja Vadia no bar, tendo sido claramente óbvio o sabor e aroma intenso a cerveja “fresca” que aconselhamos todos a experimentar. Além das cervejas base, degustamos ainda a nova Vadia Ginja, uma lager elaborada com Ginja de Óbidos onde se destaca um equilíbrio bem conseguido, que pode ser servida com um raminho de menta, dando-lhe outra dimensão.

copos

O Vadia Brewpub é, sem sombra de dúvida, uma paragem obrigatória no panorama cervejeiro nacional, conciliando cerveja artesanal com uma frescura deliciosa e um ambiente de espectáculo acolhedor que merece ser visitado.

palco

Queremos agradecer o convite e amabilidade de Nicolas Billard e de Rosa Maria Billard que foram excepcionais nesta visita, bem como aos seus restantes associados Nuno e Victor. A todos eles, o staff editorial do Cerveja Magazine deseja muitas e boas cervejas.



Ao usar o nosso website, concorda com a utilização de cookies. mais informação

As configurações de cookies deste website estão definidas para permitir "cookies", de forma a providenciar a melhor experiência de navegação. Se continua a utilizar este website sem mudar as suas configurações de "cookies", ou carregar no botão "Aceitar" abaixo, você concorda com o uso de "cookies".

Close